Arquivo do mês: fevereiro 2011

Malharia por dentro

Oi gente!

 

Por conta de um concurso do qual eu estou participando, sexta passada tive a oportunidade de visitar a malharia da ADAR, que fica aqui em Poá, SP, e ver como o fio se transforma em malha, e tudo que acontece nesse ínterim. Achei tudo muito legal, e vou comentar algumas coisas que me chamaram mais a atenção.

A ADAR fabrica e tinge as malhas, porém os fios são todos importados. Tem um estoque gigantesco de caixas de fios, principalmente de poliéster e de algodão, a maioria de origem turca.

Os rolos de fio ficam organizados num esquema complicadíssimo, dentro de tendas revestidas com plástico – pra não acumular poeira e prejudicar a cor final do tecido – , e são todos ligados a uma máquina de malharia circular, que produz um tecido em forma de tubo fechado.

 

Tenda de plástico, dentro da qual ficam os cones de fio e as máquinas de malharia.

Cones de fio, prontinhos pra virar tecido.

Máquina de malharia circular.

Dai as malhas, em estado ainda cru, são rotuladas e armazenadas. Algumas seguem para processos de beneficiamento, como a felpagem, ou mesmo o tingimento. A felpagem consiste em deixar um dos lados da malha 100% poliéster com aspecto “fofinho”, parecida com moletom ou feltro. Para obter esse efeito, o tecido passa inúmeras vezes na máquina, que por meio de fricção, levanta as fibras da malha a cada nova passagem.

 

Malha passando na felpadeira. A máquina é gigante, ocupa uma sala inteira, nem coube na foto.

As que vão para o tingimento seguem para uma sala super aquecida, cheia de outras máquinas, todas com temperatura por volta dos 120º C. Lá dentro, os tecidos recebem banhos de corante, até que atinjam a cor desejada. Um banho pode durar de 3 a 10 horas. Demorado, não? E gasta água que é uma beleza.

 

Máquinas de tingimento.

Outra máquina de tingimento, na forma de armário. O tecido é rotacionado dentro do banho de corante.

Os tecidos tingidos repousam dentro de carrinhos, onde a água é parcialmente escoada.

Depois do tingimento, os tecidos são “abertos” numa máquina específica, e seguem para o banho de acabamento, que é feito na RAMA. De lá ele já sai sequinho, com as ourelas marcadas e o excesso de corante removido, pronto para embalagem e estoque.

"Abridor" de malhas.

 

 

Rama.

Um outro modelo de Rama, maior e mais moderna. A foto mostra a parte da malha saindo da máquina e sendo "ourelada", prontinha para ser embalada.

No final, o tecido é cortado em metragens, e embalado à vácuo em plástico. De lá seguem para Três Lagoas, MS, onde é feito o estoque e distribuição.

 

Máquina roladora para corte das metragens de malha.

É isso. Para quem é aluno do curso, em algum momento vocês irão aprender tudo isso em detalhes. Mas já fica ai uma pinceladinha básica né?

beijos!

 

3 Comentários

Arquivado em Têxtil

Trote dos bixos e bixetes

Oiii!

Como muitos já sabem, nesta última segunda (dia 14) aconteceu o trote dos bixos e bixetes de TM com muita tinta, muito glitter, amor e glamour!  E claro que nossos bixos foram muito bem recebidos, com muita risada e diversão. Até batizamos cada um com um nome… bixetes de outros estados, bixete Dilma, bixete Sonic, bixetes batizadas com partes do corpo(pé, mão, nariz…) e não para por aí, elas também tiveram que fazer um juramento do curso e puderam até ganhar looks criativos 🙂

Fotos: Carina Fugimoto

Além disso, nesse mesmo dia foi vendido o kit bixo e  que também  poderá ser comprado na semana que vem (se tiver sobrado algum, porque eles estavam muito lindos, e foram feitos pelas meninas do nosso CA)!

Agora vai uma dica amiga para os novatos: semana que vem começa a semana de recepção e acho muito importante todos irem para se acostumarem com o mundo da EACH  e se informarem sobre o curso e assuntos que vocês terão de conviver por mais 4 anos! 😀

Ah, se você tem mais fotos do trote e quiser mandar pra a gente, colocaremos no flickr do blog . (também tem o link na coluna da esquerda)

É isso! Bom início de aula para todos!

3 Comentários

Arquivado em Moda, Têxtil, USP

Estampas divertidas by Libertine

Oii pessoas humanas!

Como vocês devem saber, desde quarta passada está rolando nos EUA a NYFW. Eu, fashionista que sou, nem costumo acompanhar a semana por causa de seu caráter quase totalmente comercial, bem típico da cultura do país. MAS sempre dou uma fuçadinha em algumas marcas, meio que por acaso, sem nem olhar o nome – por que a maioria das que conheço de nome não vale muito a pena olhar – e as vezes encontro algo de interessante. Aconteceu de novo agora há pouco.

Não conheço de nome a marca – chama-se Libertine -, mas adorei o trabalho de estamparia e o jogo de cores dessa coleção AW 2011.  As estampas são simples, riscas horizontais e verticais, aplicadas em peças clássicas. Mas da maneira que foram dispostas, e as cores que “ardem o olho” em tons ácidos de roxo, vermelho, rosa, azul, amarelo, entre outros, dão um efeito incrível. Vejam só.

Legal né? O resto você vê aqui.

fotos em >> www.style.com

beijos!


Deixe um comentário

Arquivado em Eventos, Moda

Exposição do Walter Rodrigues

Com as férias chegando ao fim, muitos dos alunos de TM já estão aqui em SP, certo? Então vocês podem conferir uma exposição com 38 criações do Walter Rodrigues, que também conta com vídeos e documentários de profissionais da moda. Acontece lá no Senac até o dia 26 desse mês. O endereço é Rua Faustolo, 1347 – Lapa , e o telefone para mais informações é : (11) 2185-9800

Ah, e outra coisa, criamos essa página aqui explicando como o pessoal do curso pode participar do blog. Logo mais as aulas voltam, teremos posts relacionados com o que acontece no curso de Textil e Moda da EACH-USP, e contamos com a participação de vocês. 🙂

Beijos

Deixe um comentário

Arquivado em Eventos, Moda, São Paulo

Lista da Fuvest e camisa Thiago Phelipe

Aeee saiu a lista da primeira chamada da FUVEST e já temos os nomes dos novos alunos de TM >>>  aqui. A matrícula deles é no dia 14 desse mês, das 8h30 às 16h30, no Ciclo Básico… e aí, quem vai lá?? Nós vamos! 🙂
Quando as aulas na EACH voltarem pretendemos registrar aqui looks de alunos, falar um pouco sobre trabalhos realizados, entre outras coisas. Afinal, além de servir para informar sobre o que acontece na moda em geral, o nosso blog é uma maneira de divulgarmos o curso de TM e seus alunos.

Bom, quarta terminou mais uma edição do SPFW, e vou contar pra vocês uma coisa…  Na terça eu usei uma camisa jeans para ir à bienal e o Thiago me disse que quase foi de camisa jeans também, uma pena que não foi, pois seria muito legal andarmos por lá parecendo um par de vasos – NOT hahahahahaha

nossos looks lá na Bienal: o meu foi usado na terça e o dele na quarta.

Na quarta ele usou a tal camisa, e quando eu elogiei ele me disse que foi confeccionada por ele próprio! E por isso dou início aos posts que mostram os trabalhos dos alunos de TM com essa camisa linda… e fez sucesso por lá, pois não fui só eu quem pediu pra fazer uns clicks – inclusive dos detalhes – que podem ser vistos melhor clicando nessa imagem:

É, camisa exclusiva Thiago Phelipe! ;]

Deixe um comentário

Arquivado em Eventos, Moda, São Paulo, USP

SPFW – 5º e 6º dias (parte 2)

Oi!

Ai vai a segunda parte dos últimos dias da SPFW.

Jefferson Kulig – continuou com seu trabalho com texturas e materiais alternativos, apesar de ter repetido as estampas de animais da temporada passada em alguns looks. A coleção evoluia de looks super básicos e comerciais para outros mais conceituais, principalmente no tratamento das superfícies.

Jefferson Kulig

Alexandre Herchcovitch masculino – com uma coleção masculina cujo tema enfrentava e complementava o da feminina (aqui o tema é “luta do homem contra a natureza” > no feminino era “vulcões e fúria da natureza”), Ale traz formas inspiradas em uniformes profissionais de gente que enfrenta os perigos naturais. Destaque para as roupas com efeito metalizado de proteção térmica e para a estampa P&B de desenhos xilografados, que aparece em blusões e macacões.

Alexandre Herchcovitch masc.

João Pimenta – segunda apresentação dele no SPFW, um pouco mais “pé no chão” do que da última vez (no verão ele fundiu a familia real portuguesa e o surfwear e deu nisso <<!!!). A exploração da silhueta trapézio sobre o corpo masculino, junto com referências militares e religiosas, resultou em mais uma coleção lindíssima, inovadora e carregada de conceito >> link aqui (porém dessa vez é mais fácil perceber de quais elementos a coleção comercial dele irá brotar – por isso mais “pé no chão”). Eu irei conferir pessoalmente o lançamento da coleção comercial, e trago aqui prá vocês.

João Pimenta

crédito das fotos >> www.ffw.com.br

É isso!

até a próxima : )


Deixe um comentário

Arquivado em Eventos, Moda, São Paulo

SPFW – 5º e 6º dias (parte 1)

Esse post é o início do fim dos nossos comentários sobre os desfiles dessa edição do SPFW. É, início, por que ele será finalizado pelo Thiago: nós escolhemos 3 desfiles cada para comentar.

Dos desfiles de terça, comento sobre a coleção do Fause Haten, que achei interessante especialmente por se inspirar no ‘nada’. Achei que ficou bem diferente de tudo que vinha sendo apresentado nos outros desfiles, mas ainda assim as maxi tendências aparecem: brilhos, pelos, transparências…

A Glória Coelho se inspirou em Pokémons e…. AHN? POKEMON? hahahaha É.

Na minha opinião.. o tema mudou, a coleção continua a mesma. Só eu acho isso? Não cheguei a perguntar a opinião de mais ninguém ainda… e não nego que esteja tudo muito lindo, tudo muito legal, mas que é o de sempre, é.

Já o estilo de André Lima é sempre elegante, extravagante, forte. Nessa temporada ele apresentou uma coleção de vestidos lindíssimos, que não tinham muito uma ‘ligação’ que os unia, assim para se chamar de ‘coleção’ mesmo. Mas até que é coerente né? A cliente dele não deve ser uma mulher que gostaria de ver outro vestido parecido com o dela em uma festa… achei de muito bom gosto, muito bem feito, com identidade própria.

O desfile do André Lima é muito oportuno para finalizar as minhas avaliações por esse motivo:  me lembra que uma coleção deve, acima de tudo, seguir o gosto do cliente, da inspiração, do estilo próprio. Obvio que não é só ele, mas ele é um bom exemplo disso… uma coleção sem uma conexão aparente, sem seguir tendências e modismos, de vestidos de festa, que são lindos, elegantes e de uma personalidade bem definida.

E por isso acho também que as opiniões aqui podem até ser compartilhadas por muita gente, mas tem desfiles que deixamos de fora das nossas avaliações que agradam muita gente também. Não existe muito isso de ‘melhor’, ‘pior’: existem coisas bem feitas (no sentido de modelagem, material) e existe o gosto, que é muito pessoal: beleza está nos olhos de quem vê.

Bom, termino aqui meus comentários sobre o SPFW.  Agora vamos aguardar os comentários do Thiago, os desfiles que ele escolheu eu também achei liiindos.

Beijos

Deixe um comentário

Arquivado em Eventos, Moda, São Paulo